Plataforma mapeia trajetos para bicicletas na cidade de São Paulo

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Ferramenta colaborativa do Google permite que munícipes publiquem e busquem ciclovias, ciclofaixas, rotas e serviços para bicicletas na cidade

O investimento da Prefeitura de São Paulo para expandir a malha cicloviária da capital faz com que cada vez mais o uso da bicicleta na cidade seja estimulado com novas iniciativas e parcerias. Há dois meses, um dos principais serviços de busca da internet, o Google Maps, passou a exibir trajetos por ciclovias, ciclorrotas e trilhas. O sistema utilizou mapas disponibilizados pela Prefeitura, fornecendo inclusive o tempo estimado do percurso. Atualmente, a cidade de São Paulo conta com 356,8 km de malha cicloviária, incluindo 31,9 km de ciclorrotas. Desde junho de 2014, a atual gestão inaugurou 260,2 km de ciclovias. Antes, São Paulo possuía 64,7 km de ciclovias.Para permitir também a inclusão de trechos não oficiais e de equipamentos para os ciclistas, como paraciclos e serviços especializados, a empresa disponibiliza o Google Map Maker, uma ferramenta colaborativa que permite adicionar aos mapas informações de novas ciclovias, ciclorrotas, bicicletários e trilhas adequadas para o uso de bicicletas.

“Desde o começo a gente sabia que jamais teria condições de pegar os dados de todas as cidades do Brasil. Então a nossa estratégia foi justamente lançar a ferramenta dando ênfase às cidades maiores, que já têm uma malha cicloviária mais extensa, e promover as nossas ferramentas de contribuição para usar um canal formal de melhorias e qualidades”, afirmou o chefe do Google Maps no Brasil, Marcus Leal, em treinamento realizado nesta segunda-feira (31), na sede da empresa, para cicloativistas, técnicos do poder público e imprensa.

O Google Map Maker permite adicionar e atualizar informações geográficas que serão exibidas para todos os usuários no Google Maps. Ao compartilhar informações sobre os lugares que conhece, como a inclusão de rotas, bicicletários e paraciclos, o cidadão ajuda a garantir que o mapa represente corretamente a região exibida.

A ferramenta intuitiva permite que qualquer pessoa contribua com a manutenção e expansão da cobertura dos mapas já existentes. Para inserir novas informações, o usuário precisa ter uma conta no Google e acessar o endereço https://www.google.com.br/mapmaker. Após inserir as informações, os dados são avaliados por outros usuários e funcionários do Google.

“Essa ferramenta dá a possibilidade para todo tipo de usuário -os que estão começando a pedalar e os que já pedalam muito- traga uma opção diferenciada que pode ser mais agradável e mais segura para a bicicleta no trânsito, conforme a experiência do usuário”, disse Luciana Nicola, superintendente de Relações Governamentais e Institucionais do Itaú Unibanco, parceiro da iniciativa.

Fonte: Prefeitura de São Paulo.