Visite: entre em contato com um guia ou agente local.

Produção de banana de Zundi

Créditos: José Cordeiro/ SPTuris

Produtos orgânicos e produtores

Conheça algumas personalidades que, em plena São Paulo do século 21, vivem do que a terra dá.

Foto: Fernanda Freire/ arquivo SPTuris

Foto: Fernanda Freire/ arquivo SPTuris

Maria José Kunikawa (Tomi) – Conhecida como Tomi, nasceu na ilha do Bororé e se rendeu aos encantos da terra desde menina. Foi à cidade estudar e se graduou em Administração Hospitalar. Mais tarde voltou ao seu lugar de origem para se tornar agricultora. Acredita que a troca de informações sobre práticas de manejo agroecológico entre os agricultores da região de Parelheiros é fundamental para o aprimoramento do seu trabalho. Em sua propriedade, há um clima agradável, inspirado pelo belo paisagismo de seu jardim. Há também um ninhário de garças, que podem ser observadas no verão. Tomi convida os turistas a “constatarem, em Parelheiros, aquilo que estão lendo, aquilo que está sendo divulgado na mídia”, sobre agroecologia e preservação ambiental.

Telefone: +55 (11) 99292-5220 / tomikunikawa@gmail.com

Foto: Arpad Spalding/ arquivo SPTuris.

Ernesto Okio Oyama – Chácara Oyama- É um jovem agricultor de 33 anos. Em seu sítio, é possível contemplar o espetáculo de cerejeiras floridas, especificamente entre os meses de junho e julho. Produtor de hortaliças e legumes, Ernesto reforça o time dos que abandonaram os agrotóxicos. Seus pais, Pedro Toshiharu e Kyoko Oyama, preservam as raízes da cultura japonesa no dia-a-dia da casa. Quando questionado sobre o motivo de ser agricultor, Ernesto fica em silêncio por um tempo: “Estou na agricultura para prosseguir com o trabalho do meu pai”, responde, ao fim.

Rua Estalides, 600. Telefone: +55 (11) 5920-8270 / neto1978@hotmail.com.br

Foto: Arpad Spalding/ arquivo SPTuris.

José Luis da Silva (Zé da Floresta) – Tornou-se Zé da Floresta quando, em Parelheiros, decidiu plantar seus primeiros pés de fruta. Excelente anfitrião, não deixa ninguém ir embora sem tomar ao menos um cafezinho. Amante da natureza, afirma sorridente: “Gosto de viver dentro da paisagem!”. No sítio desse alagoano, há cultivo de café, palmito juçara e um pomar recheado de frutas. Localizado próximo a uma área urbanizada, é possível perceber o contraste entre cidade e campo e assim valorizar a importância daquela mata.

Rua Dr. Achilles Silveira Guimarães, s/nº. Tel.: 5926-0217/ 99362-9102.

Foto: Arpad Spalding/ arquivo SPTuris.

José Geraldo Batista Santiago (Zé Mineiro) – Esse simpático mineiro nasceu na cidade de Ladainha e veio para São Paulo com 14 anos. “Já me sinto paulistano”, afirma Zé Mineiro. Há mais de 20 anos, é produtor autônomo. Começou cultivando hortaliças, passando por plantas ornamentais até encontrar sua menina dos olhos, a cana-de-açúcar. Hoje ele possui alambique e produz uma deliciosa cachaça orgânica. Na roça do Zé Mineiro, há um clima de acolhedor sossego. “Se você quer respirar, tem que vir pro mato”, convida o agricultor.

Telefone: +55 (11) 7247-4029.

Foto: Arpad Spalding/ arquivo SPTuris.

 Zundi Murakami – Agricultor experiente, vivido, mas não por isso menos entusiasmado, é referência em produção de banana, na região. Trabalhou como comerciante, foi metalúrgico e intérprete durante os 10 anos em que esteve no Japão. Atualmente, em seus 5 hectares produtivos, cultiva bananas orgânicas. Zundi acredita que o turismo agroecológico em Parelheiros será uma excelente oportunidade para estudantes e também para aproximar as crianças da realidade camponesa. Contente com a vida que leva, esse sábio agricultor afirma que “enquanto eu tiver saúde e coragem para trabalhar, estarei no campo”.

Telefone: +55 (11) 7507-0636.

Propriedade de Zundi – produção de bananas. Foto: José Cordeiro/ SPTuris.

Foto: Arpad Spalding/ arquivo SPTuris.

Cida E Osvaldo Oshi – Vivem em uma propriedade próxima ao Parque Estadual da Serra do Mar. O pai de Osvaldo chegou à região de Parelheiros em meados da década de 1950, dedicando-se ao plantio de hortaliças. A partir de 1960, iniciou uma plantação de caqui. No tempo dele já se ouvia falar em cultivo orgânico: “Essa terra, quando ficar pobre, não vai dar mais nada”, diziam. Há aproximadamente 10 anos, o Sr. Osvaldo não usa agrotóxicos. Sua terra é fértil e abriga uma vasta produção de suculentos caquis.

Telefone: +55 (11) 9620-7867.

Produção de caqui do Oshi. Foto: José Cordeiro/ SPTuris.

Foto: Instituto Pedro Matajs/ arquivo SPTuris.

Leila Matajs – Moradora da região há muitos anos, é produtora de cogumelo shitake (frescos e em conserva) e mudas florestais nativas (tubetes e sacos). Além disso, dá cursos e palestras sobre cogumelo shiitake. Diretora do Instituto Pedro Matajs, trabalha para o desenvolvimento da região e para a promoção da agricultura orgânica.

Telefone: +55 (11) 99681-9419 / +55 (11) 5975-4392 / ipm@institutopedromatajs.org.br/ www.institutopedromatajs.org.br

Foto: Arpad Spalding/ arquivo SPturis.

Valeria Maria Macoratti e Vânia dos Santos – Elas passaram a se dedicar à agricultura pelo amor à terra e às plantas. Antes de iniciar no plantio, trabalhavam com a comercialização de produtos convencionais, mas, a partir do momento em que entraram em contato com a produção ecológica, deixaram de vender produtos com veneno e passaram a cultivar produtos orgânicos e biodinâmicos. Na pequena propriedade, mantêm um pomar e grande diversidade de hortaliças. Têm ainda uma cisterna, filtro de águas cinzas e estufa para a produção de mudas. Cuidam de cerca de 50 cachorros que foram abandonados.

Telefone: +55 (11) 5974-8993 / valmacoratti@bol.com.br

Foto: Instituto Pedro Matajs/ arquivo SPTuris.

Angelina Helfstein Fidêncio – É pioneira da produção de húmus de minhoca. Faz suas próprias mudas de hortaliças em bandejas, e também plantas “suculentas” e flores diversas em vasos. Proprietária do Sítio Dourado, está comprometida com as práticas agroecológicas.

Telefone: +55 (11) 97520-6831 / +55 (11) 5978-6199 / angelinafidencio@gmail.com

Produção de compotas e geleias do Empório Trem Mineiro. Foto: José Cordeiro/ SPTuris.

Produção de compotas e geleias do Empório Trem Mineiro. Foto: José Cordeiro/ SPTuris.

Empório Trem Mineiro – João Oscar incentiva a produção de Cambuci na região com seu empório que reúne diversos produtos caseiros. Faz parte da rota do Cambuci. Lá pode-se encontrar doces, geleias e licores da fruta.

Empório “Trem Mineiro”
Estrada do Cipó, 236. Telefone: 5921-4492.